As Aventuras de Nando & Pezão

"O Show do Rappa"

Capítulo 2 – Cerveja e Pé-Vermeio!

— Sai daí, Pigmeu!!! — gritamos os três.

Do lado de fora ouvimos a contagem...

.... 03.... 02.... 01.... 00

Nós três levamos as mãos aos ouvidos.

--------------------------

Nem "BUM"... nem "PLOFT"... nem "ESCATAPLUM"... nada aconteceu. Bom, nada catastrófico, melhor dizendo. Apenas uma longa e irritante risada do irmão do Pezão, aquele maldito filho da mãe dos infernos. Galera, eu juro, se eu pego aquele moleque eu faço picadinho dele. Passo pimenta no cabo de vassoura e enterro no cu daquele pirralho. Fez a gente pagar o maior mico!

— Irado, carinhas! — gritou Pigmeu. — Eu desarmei a bomba!

Na verdade ele apenas apertou a maçaneta, mas o cara está tão chapado que eu nem quis discutir... hahaha...

— Filho da puta! — esbravejou Pezão, voltando pro carro. — Se esta bosta estragar o meu CD Player eu mato aquele bicha metido a cientista.

Zoinho caiu na gargalhada. Voltamos pro carro.

— Puta merda! Mas que cheiro é este? — eu gritei. Alguém cagou no carro, só pode ser isso. Um fudum dos infernos.

— Antes de desarmar a bomba eu peidei, galera. — disse Pigmeu. — Foi mal.

— Cara, você peidou ovo cozido com maconha? — gritou Pezão, com a mão no nariz. — Nunca senti um cheiro tão esquisito como este!

— Galera, o peido do Pigmeu está dando o grau! — disse Zoinho, o único que não levou as mãos ao nariz. Credo! — Estou quase vendo as borboletas.

— Borboletas? — Pigmeu lascou um tapão na cabeça do Pezão. — Elas voltaram!

— Porra, Pigmeu! — Gritou Pezão, puto da vida. — Tomar no seu cu, malandro! Faz isso de novo e eu te jogo pra fora, valeu? Doeu, filho da puta!

— Foi a borboleta, carinha. Eu vi, ela estava transando com o borboleto aí em cima da sua cabeça.

Eu e Zoinho caímos na gargalhada. O Pigmeu é foda. Estou começando a achar que não será boa coisa levá-lo conosco, isso pode acabar mal. O cigarrinho do capeta deixou o cara muito doido!

Pezão pisou fundo, como sempre. Agora não tem volta. Como é que é mesmo aquela musiquinha sem-vergonha? Ahá! Aposto que você até cantou aí...vamos lá, todo mundo! Comigo! HOJE É SEXTA-FEIRA!!! BLA BLA BLA BLA... TÔ DE SACO CHEIO... BLA BLA BLA.... e agora a melhor parte... CERVEJA CERVEJA CERVEJA.....

 

Sexta-feira é dia sagrado. Quero dizer, se não estamos com as namoradas... é claro. Reunimos a galera em frente a Churrascaria do Fróks e tomamos a "mardita" até a bexiga pedir arrego. Ah, sim, e uns petiscos são sempre bem-vindos. E, claro, o mais importante de tudo... as "Pé-Vermeio". Não sabe quem são as Pé-Vermeio? Tudo bem, eu conto... Pé-Vermeio são aquelas biscates que aparecem na sexta-feira nos barzinhos e forrós da cidade, estas criaturas são chamadas assim porque vêm dos confins do mundo, na verdade ninguém sabe ao certo de onde elas surgem, mas surgem. Ah, meu amigo... surgem. Aqui na minha cidade aparece Pé-Vermeio de tudo quanto é tipo e tamanho. Tem do tipo loira tingida, morena vesga, mulata de cabelo ruivo com a boca faltando os dentes.... Tem pra todos os gostos. Confesso que de vez em quando até surge uma ou outra bonitinha. Mas... tem outra coisa... quem garante que aquilo é mulher? Pois é, mas nem só de Pé-Vermeio vive a "Night" da minha cidade. Sexta-feira também costumam aparecer umas estudantes.... é verdade!!!.... tem várias Faculdades por estas redondezas, e isso é muito bom. Porra, se tivesse só Pé-Vermeio nesta bosta o que eu estaria fazendo aqui? Hahahaha........ Pé-Vermeio é bom quando estamos no desespero. Você mira a Pé-Vermeio e BUM!!! Joga aquele xaveco manjado e bingo. Tchaca-tchaca na butchaca até o sol raiar. Sim, a Pé-Vermeio é resistente! Nunca vi criatura tão insaciável como esta. Ano passado eu catei uma Pé-Vermeio atrás do Bar do Gordo. Galera, a criatura parecia carrapato. Eu terminava o "serviço" e a mina... "Já vai embora???"... eu me concentrava, armava a barraca... pa pum pa pum.... aaaaaaaaiiiii...... e a mina..... "Fica aí, vamos mais uma!"..... Caraca! Aquela Pé-Vermeio foi foda. Eu agradeço por ter usado camisinha todas as vezes, pois a pixirica dela estava tão frouxa.... aquela é do tipo "Batalhadeira", sabe como é? Ela dá pro batalhão inteiro.

Puta merda, quem gosta de comer Pé-Vermeio é o Pezão. Quer saber como foram? Ah, pergunta pra ele..... hahaha...... eu não estou interessado.

 

Pezão procurou estacionar o Corsa no mesmo lugar de sempre, mas não foi possível. Havia um Golf preto parado ali. Putz! Era só o que faltava, eu conheço esta placa: BUG7791. Este Golf preto pertence ao Pereba, o maior inimigo do Pezão. Pereba é outro filho da puta cheio da grana. O pai do babaca é dono de uma rede de supermercados aqui na região. O bacana nada em dinheiro. Pezão também sacou de quem é o carro.

— Filho da puta. — disse Pezão, procurando outro lugar para estacionar. — Pegou o meu lugar.

— Fica frio, cara. — eu disse. Hoje não estou a fim de apartar briga de Playboy. Sempre sobra pra mim. — Ali atrás tem bastante espaço.

— O Pereba está por aqui. — disse o Zoinho.

— Cara, nunca mais fale esta palavra gay dentro do meu carro, valeu?

Pezão falou tão sério que Zoinho ficou assustado, e balançou a cabeça positivamente.

Ah, tá ... você quer saber porquê Pezão não se tromba com o Pereba. Simples, no colégio os dois viviam medindo forças pra ver quem era o mais Playboy. Um comprava uma moxila bacana... o outro ia lá e comprava uma ainda mais legal.... um comprava uma bicicleta último ano.... o outro aparecia com uma bike ainda melhor.... e assim vai.... coisa de adolescente babaca. Enquanto eles se preocupavam com isso eu comia as menininhas, é lógico.

 

Finalmente estacionamos. Ao lado havia uma Brazilia laranja com o som no máximo, que na verdade nem era assim tão máximo, mas o dono acha que está apavorando. Puta merda, e ele está apavorando sim! Eu nunca senti tanto pavor em toda a minha vida, o cara está escutando "Pula, sai do chão, este é o Bonde do Tigrão... " Puta merda! Se este babaca não desligar isso eu juro que mato um esta noite. Esta música é foda. Ops! Chamei isso de "música" ??? Galera, perdoe-me pela gafe. Bonde do Tigrão não faz música, apenas vomita algumas palavras. 

Saímos do carro e aquele maldito vômito veio todo pra cima da gente.... "Vem tchutchuca linda.... "

— Puta merda! — disse Pezão, puto da vida. Pezão também odeia Tigrão, ainda bem. — Tchutchuca linda o caralho!!! Ah, puta que o pariu! Não vou ficar ouvindo esta bosta a noite inteira. Sem chance!

Pezão abriu o porta-malas do Corsa, ligou o rádio e procurou uma estação qualquer. Por sorte a Jovem Pan estava tocando 'Lazgo - Something" ... conhecem? Esta música é legal pra caralho. Preparem-se!!! Pezão colocou todo o seu som pra funcionar. Aaaaaaaaaaaaoooooooooooo!!! Lazgo pra galera!!! Coitado do Bonde do Tigrão.... evaporou-se. O som do Corsa deixou o Tigrão com cara de gatinho malhado. Até as Pé-Vermeio saíram dos botecos pra ver o que estava acontecendo. Tum Ti Tum Ti Tum Ti....

 

I don´t wanna say that I´m sorry

Cause I know there is nothing wrong

Don´t be afraid there is no need to worry

Cause my feelings for you are still strong

 

Puta merda, esta música é ainda mais legal quando você escuta com um puta som. Os caras da Brazilia laranja mostraram alguns "dedos" pra nós, mas saíram de fininho.

— Tchau mesmo, galera! — gritou Pezão, devolvendo os "dedos". — Lugar de Tigrão é na puta que o pariu!

A Brazilia passou por nós e um dos caras esticou o pescoção pra fora, dizendo:

— Te cuida, cara, ninguém mexe comigo e fica vivo pra contar.

Enquanto isso o "som" dos caras tocava: "Só as cachorra!!! As preparada!!!"

— Tô cagando e andando, cara! — gritou Pezão, mostrando o dedão fedido pros caras da Brazilia laranja.

— Deixa quieto, cara! — eu gritei para o Pezão. — A gente nem conhece estes filhos da puta! Viu só as caras dos figuras? Tudo nóia!

— Ah, Nando, tudo cuzão... isso sim. Se os caras fossem nóias mesmo teria vindo pra cima da gente com canivetes e o caralho a quatro.

— Sei não, cara. — disse Zoinho, observando a Brazilia dobrar a esquina. — Eu achei aqueles caras muito esquisitos. Eu acho que você está fodido.

Pezão desligou o som. 

— Porra, vamos chapar o coco ou não? — disse ele. — Vocês falam demais!

— É isso aí, meu camaradinha! — diss Pigmeu, quase caindo na calçada. — O importante é que fuck you as borboletas! Borboleta? Onde? Onde?

— Caralho, o cara só vê borboleta quando fica chapado? — eu disse para o Zoinho, este caiu na gargalhada. Virei na direção do Pigmeu e gritei pra ele: — Porra, Pigmeu, cheira bosta que é melhor e mais barato!

— Irado, carinha! Pode crer, só. Valeu pela dica, meu camaradinha.

Puta merda, precisamos dar um jeito no Pigmeu. A última vez que saí pra balada com um cara chapado ele passou a mão na bunda de uma mina e deu o maior fuzuê. O namorado dela era o dobro do Pigmeu. Putz! Aquela noite foi foda, não tão foda quanto Ubatuba.... mas foi foda. Vocês ainda querem saber sobre Ubatuba, né? Ah, ainda estou sóbrio. Aguardem mais um pouco. Sabem como é, né? Cervejinha vai... cervejinha vem... vou acabar contando. Não tem jeito, quando a marvada te pega de jeito você acaba fazendo merda. Uma vez eu bebi tanto que acordei de cueca dentro de um latão de lixo. Esta noite também foi foda..... nem chega perto de Uba... mas foi foda.

 

Pegamos a primeira mesa vazia e sentamos os quatro. Pigmeu precisou de uma ajudinha pra chegar até ali, mas fizemos de modo discreto. Ninguém percebeu que ele está um "pouco" alterado... hahaha... só eu e a torcida do Flamengo.

Primeiro pedido da noite: 

1 Pizza

3 Garrafas de cerveja

... e 4 copos dos grandes! Aaaaaaaaaaaoooooooooo!

A cerveja e os copos chegaram primeiro, é claro. A Pizza veio alguns minutos depois. A churrascaria do Fróks é muito boa. Eu recomendo. Os garçons são cuzões pra caralho, mas tirando isso é muito boa. Dou só uma dica: não deixa o garçom perceber que você sabe que ele é cuzão, caso contrário a sua Pizza pode vir com um puta ranho ou uma bela catarrada. Não ri não, cara, é sério. Os garçons sofrem, vocês precisam ver os uniformes dos caras... lembra daquele filme "A Fantástica Fábrica de Chocolates" ? Os garçons se vestem como os "Ooompa Looompa". Só falta aquela musiquinha sem-vergonha.... "Ooompa, Looompa, Dooompa Di Di... Se você for esperto você vai me ouvir.... Ooompa, Looompa, Dooompa Di Du... Se você for uma boiola você vai tomar no cu". Bom, a letra é mais ou menos assim, sei lá! Assiste o filme e depois você me conta.

Um dos garçons está nos trazendo os garfos. Vou tentar algo novo hoje, falar com ele. Isso é um momento inédito. Eu nunca fiz isso antes, morro de medo. Eles te encaram feio mesmo, intimidam. Mas... foda-se, vou tentar. Se eu conseguir ficar amigo de um dos garçons talvez eu consiga alguns privilégios, como ser atendido mais rapidamente. O cara chegou.

— Beleja, amigo? Movimentado hoje, né?

Ele ficou um pouco surpreso, olhou nos meus olhos e disse:

— Beleza? Beleza está puta que te pariu! Estou vestido feito um palhaço, estou cheio de serviço, hoje flagrei minha mulher dando o cu pro moleque que entrega jornal, minha filha está grávida e não tem a menor idéia de quem seja o pai, minha sogra tem hemorróidas e está vindo passar dois meses na minha casa, minha mãe chupa rola nas horas vagas pra poder pagar as consultas médicas do meu pai, acabei de descobrir que o meu vizinho bateu o meu carro no poste e... adivinha só!!! O poste caiu sabe onde? Claro, em cima da minha sala... Beleza? Beleza? Eu acho que não! Na verdade a única coisa boa que eu fiz hoje foi passar a mão no meu cu antes de fazer esta saborosa Pizza pra vocês.

— Porra! — Zoinho cuspiu um puta pedaço de Pizza. Quase acertou a minha testa.

— Vai se foder, meu! — gritei.

O garçom começou a rir histericamente.

— Brincadeira, não fiz isso não. — disse ele, com as mãos na cintura. — Desculpa, é que a minha vida está uma bosta.

Alguém chamou o garçom. Ele deu uma olhada rápida pra dentro da churrascaria, fez um sinal com a mão e voltou a atenção pra nossa mesa.

— Não se preocupem. Sirvam-se, a Pizza daqui é muito boa.

O garçom voltou pra dentro da churrascaria. Nós quatro ficamos nos encarando pra ver quem teria coragem de pegar outro pedaço da Pizza.

— Cara, eu não acredito, — disse Pezão. — Aquele puto enterrou o dedão no cu e passou na massa?

— Foi brincadeira. — disse Zoinho. — Ele não faria isso.

Enquanto os dois discutiam se a massa estava ou não contaminada com o cu do garçom eu observava espantado o Pigmeu devorar o seu décimo pedaço de Pizza.

Resultado: Pigmeu acabou comendo a Pizza inteirinha. Cu ou sem cu, eu estava sóbrio o bastante para não arriscar.

 

Cerveja vai, cerveja vem, de repente uma moreninha muito gostosa aparece e senta com dois caras numa mesinha perto da nossa. Uma moreninha linda mesmo, calculo uns 22 anos. Cabelos longos, pernão e peitão. Muito gata mesmo. Os caras que estão com ela são certamente lutadores de Jiu Jitsu ou sei lá... os braços dos caras são maiores do que a minha coxa. Zoinho não tirava os olhos da moreninha.

— Cuidado com os caras ali, Zoinho! — Alertei o pobre coitado. Aposto que está tendo uma ereção só de olhar pra morena. Está quase babando!

— Vocês não sabem quem é ela? — sussurrou Zoinho, seus olhos nem piscavam.

Eu e Pezão olhamos discretamente para a morena. Após uma cuidadosa examinada na morena nós voltamos a atenção pro Zoinho.

— Vai ser gostosa assim lá em casa, hein! — eu disse.

— Viu só os peitinhos? — disse Pezão. — Meu, que delícia!

De repente o Pigmeu começou a gritar para os brutamontes, que estavam de costas para ele.

— Oh! Oh! Vocês quatro aí! Dá pra sair da frente? — ele apontava para os dois brutamontes. — Eu quero ver a gos....

Antes que os fortões olhassem pra trás eu tapei a boca do infeliz. Eles olharam novamente para os lados e acabaram desistindo. Ufa!

Soquei um tapão em cada uma das orelhas do Pigmeu. Acho que ele vai ficar um tempinho sem ouvir a nossa conversa.

— Finalmente eu consegui ver aqueles peitões de pertinho! — disse o Zoinho, praticamente babando.

— Porra, limpa esta baba nojenta e conta logo quem é ela! — Eu disse.

— Caralho, vocês estão por fora mesmo, hein! Aquela ali é a Juciléia!

— Juciléia? — eu disse, tentando puxar pela memória outra vez. — Caralho, este nome não me é estranho!

— Juciléia, a biscate? — perguntou Pezão. Por um momento eu pensei que os brutamontes tivessem ouvido, mas ainda bem que foi só impressão minha.

— Essa mesmo! — disse Zoinho, limpando a baba com a manga da camisa.

Ainda estou boiando. Eu não me lembro de nenhuma Juciléia, a biscate.

— Nando, é a biscate que fez um filme pornô no México! Lembra? Uma vez contaram esta história pra gente.

— Ah, agora eu me lembro. Mas nós pensamos que fosse brincadeira, né?

— Não é brincadeira não, cara! — disse Zoinho, olhando fixamente pra mesa da morena. — Eu já vi o filme!

— Porra, é sério? — eu disse, após tomar mais um gole de cerveja. — Você está brincando, maluco!

— Brincando nada! É sério, eu já vi o filme. Na verdade mais da metade da cidade já viu este filme, cara! Em que planeta você vive?

— Zoinho, eu vivo num planeta onde os homens comem pixiricas de verdade, não ficam batendo punheta na frente de um monitor ou olhando pra peitos de revista.

Porra, peguei pesado. Zoinho ficou até sem graça.

— Cala a boca, Nando! — disse Pezão. — Você também já bateu e bate muita punheta ainda! Que moral você tem pra pagar pau do Zoinho?

— Todo homem bate punh...

— Cala a boca, Zoinho! — gritou Pezão, tirando sua carteira do bolso. Pegou uma caneta e uma nota de 1 Real. — Agora diz aí o nome desta porra de filme.

— Só tem uma locadora que tem este fil...

— Diz logo o nome do filme, droga!

— Chavasques – Uma Aventura Anal.

Pezão escreveu o nome do filme na nota de 1 Real.

— Caralho, isso é nome de filme pornô? — eu disse, rindo.

— Este é o filme pornô mais esquisito que já vi em toda a minha vida.... e olha que sou expert no assunto!

— Mas o que tem de tão esquisito assim? Uma vez eu assisti um que tinha uma mulher com 3 pixiricas e 5 peitos. O cara ficou até zonzo na hora de trepar com ela. As opções eram tantas que ele não sabia o que fazer.

— Ah, este tipo de filme é fichinha... tudo montagem. Bizarro mesmo é este da nossa amiga... — Zoinho esticou o pescoção para conseguir uma melhor visão da moreninha. — ... Juciléia.

— Cara, agora eu fiquei curioso! — disse Pezão. — Então aquela gostosinha ali aparece peladinha dando o rabo neste filme?

— Isso e muito mais. Ela faz o papel da Chiquinha!

— O quê? — eu e Pezão perguntamos juntos.

— Estou tentando dizer isso faz tempo, mas vocês não me deixaram. Este filme é uma versão pornô do Chaves! Tem o Seu Barriga, o Chaves, o Seu Madru....

Eu e Pezão caímos na gargalhada. A risada foi tão alta que todo mundo olhou pra nossa mesa. Até o Pigmeu, coitado, conseguiu ouvir. Quando a galera parou de nos encarar nós voltamos a conversa.

— Caralho!!! Eu preciso ver este filme o mais rápido possível!!! Chaves pornô?

— Fala baixo, Nando! Porra!

— Onde é que eu posso alugar isso?

— Tem uma locadora em frente ao Bar do Gordo, não tem?

— Tem? Nem me lembro.

— Tem, mas não é essa. A única locadora que tem este filme é uma locadorinha filha da puta lá perto do Motel do Jorjão.

— Ah, sei qual é. Caralho, como é que você conseguiu descobrir isso?

— Ah, Nando, você não imagina do que eu sou capaz pra ver uma pexeca. Ainda mais se a pexeca mora aqui mesmo na minha cidade.

— Caralho, como é que uma gata daquela me faz um filme pornô no México? Como pode isso?

— Sei lá, dizem que os pais se separaram e ela foi com a mãe pro México. Ouvi dizer que e mãe dela perdeu tudo o que tinha e ambas começara a se prostituir pra viver. Sei lá, este povo fala muito! Eu acho que ela fez porque é chegada numa rola.

— Zoinho, e a galera do filme usa as mesmas roupas lá do Chaves?

— Cara, até o cenário é idêntico... eu estou falando... é o filme pornô mais bizarro que eu já vi. Como eu já disse, a Juciléia faz o papel da Chiquinha. Meu, ela dá pra todo mundo no filme, até paga um boquete pro Seu Madruga.

— Oloko!!!

— Meu, amanhã sem falta eu vou abrir uma conta naquela porcaria de locadora e vou pegar este filme.

— Boa sorte. Este filme é mais alugado que todos os lançamentos juntos.

— Foda-se! Vou madrugar em frente a locadora. Neguinho vai ter que sair no tapa comigo pra poder alugar na minha frente.

Dei mais uma olhada na moreninha. Meu, muito gostosa!!! Nem acredito que amanhã vou ver aqueles peitinhos na minha TV 29"...... Uhuuuuuuu!

De repente chega um recadinho até a nossa mesa. O famoso torpedo. É pra mim.

— Ahhhhnnnnn!!! Nando garanhão! — gritou Zoinho no meu ouvido.

— Comedor!!! Comedor!!! — gritou Pezão, batendo a palma da mão sobre a mesa cheia de garrafas de cerveja vazias.

Abri o bilhetinho lentamente e estava escrito:

"Oi, estou te olhando para voçê desde quando xeguei. Istou morrendo de tezãu. Olhe para a esquerda."

Olhei para a minha "direita" e lá estava ela, a dona do bilhete, simplesmente uma Pé-Vermeio do pior tipo... baixinha, orelhuda, nariz pontudo e dentes saltados pra fora dos beiços desproporcionais. Meu, até Letícia, ou Lelê para os íntimos, é mais bonita. Cruz credo!!! Além de tudo é mais analfabeta que uma mula! Eu, hein!!! Foi a primeira vez em minha vida que li "você" escrito com "ç".... depois dessa.... hahaha .... melhor ir embora!

— Vai fundo, mano! — disse o Pezão, batendo nas minhas costas. — Pé-Vermeio também é gente, sabia?

— Vai você, Pezão! Você sempre gostou de fazer macumba na sexta-feira mesmo!

— Eu, hein! Eu já vi muita Pé-Vermeio feia, mas aquela ali é tão feia que até os fantasmas têm medo de assombrar a casa dela. Puta merda! Tô fora, vou pra casa mesmo.

Olhei para o Zoinho.

— Vai fundo, Zoinho!!! A Pé-Vermeio está a fim de dar, cara!

— Sai fora, meu! Prefiro ficar no 5 contra 1 mesmo.

Pigmeu levantou-se repentinamente e lascou um tapa na testa do Zoinho. Este, com uma calma incrível, falou para o Pigmeu:

— Já sei, tinha uma borboleta na minha testa.

— Que borboleta, seu tonto? Eu bati pra você deixar de ser burro! O carinha ofereceu uma mulher pra você traçar e você não quis? Eu quero!

Todos caímos na gargalhada.

— Cadê a pexeca?

Apontamos a Pé-Vermeio, Pigmeu ajeitou a calça e saiu cambaleando na direção da criatura medonha.

Dividimos a conta em três. Deu só um pouquinho pra cada um, hoje bebemos pouco e falamos mais. Geralmente acontece o contrário. Enquanto pagávamos a conta vimos Pigmeu aos amassos com a Pé-Vermeio do inferno. Beijos de língua e tudo mais. Eu só queria saber com quem aquela Pé-Vermeio aprendeu a beijar? Quem teve coragem de praticar com uma coisa medonha daquela? Certamente algum sapo do brejo, sei lá. Eu, hein! Felizmente a minha Ruth chega de Campinas amanhã. Vou aguardá-la na rodoviária. Farei uma bela surpresa pra ela.

 

Manhã de Sábado...

Rrrrrrrrrrrring!!! O maldito telefone toca. Preciso perguntar quem é?

— Vai tomar no seu cu, Pezão! Porra, são 8 horas da madruga, véio!

— Calma, meu anjo! Por que está nervoso?

Putz! É a .... Ruthinha. (Puta merda, até meus pensamentos imitam o Tonho da Lua)

— Ruthinha? Desculpa, meu amor! Desculpa! Eu pensei que fosse o ....

— Não esquenta, fofo. Tudo bem. — Ai como é bom acordar com uma voz macia e sexy ao invés daquela voz dos infernos que o Pezão tem. — Estava eu aqui no banco da rodoviária e passou um carinha muito parecido com você. Fiquei com saudade e resolvi ligar.

— Que delícia ouvir a sua voz logo cedo. Liga todo dia, tá?

Ouvi uma leve risadinha. Poxa vida, será que eu vou conseguir namorar uma garota que passa a semana inteira fora da cidade? Vai ser foda, além disso ela é uma tremenda gata, os cuecas malditos devem ficar em cima dela como urubu na carniça. Eu ficaria.

— Nando, eu estou super a fim de ver o novo filme do Mel Gibson, o...

— Sinais... Parece ser muito legal mesmo. Não por causa do Mel Gibson, mas parece ser muito bom.

— Ei, não fala assim do meu ídolo não, hein! — Outra risadinha. — Umas amigas até me convidaram pra ir assistir ontem. Mas eu recusei. Quero ver agarradinha a você.

Uhuuuuuuuu. Tô bem na fita!

— Ruth, vem logo pra cá! Dá um jeito aí, bate no motorista, seqüestra algum cobrador, sei lá, dá um jeito!

Quase matei a menina de tanto rir. É tão bom achar uma garota bonita, inteligente e com bom humor. Putz! Será que Murphy vai deixar eu ficar com ela por muito tempo? Sempre que encontro uma garota assim alguma coisa acontece. Mas não desta vez! Ruth! Ruth! Ruth! Putz! Agora me lembrei de uma coisa. O nome daquela velha feia que trabalha no programa Topa Tudo Por Dinheiro também se chama Ruth. Eu, hein! E o que isso tem a ver? 

— Nando, preciso desligar, o meu ônibus já vai sair! E o orelhão está meio longe.

— Corre lá, meu anjo! Já estou te esperando!

— Beijos, querido. Tchau!

— Tchau, gata. Não usa o banheiro do ônibus, tá! 

— Por quê? 

— Ah, outro dia eu te conto. Vai lá, gata! Não quero que você perca o busão!

— Tá, beijo!

— Outro, gata.

Ficaram curiosos com a história do ônibus, né? Tudo bem, eu posso contar. Vocês não estão atrasados pra pegar nenhum busão mesmo, né? Bom, tudo aconteceu numa escursão que o meu colégio havia montado pra visitarmos uma fábrica da Coca-Cola no Rio de Janeiro....